Adquiridos com recursos de acordo judicial, equipamentos de tratamento oncológico serão instalados até fevereiro de 2020

Adquiridos com recursos de acordo judicial, equipamentos de tratamento oncológico serão instalados até fevereiro de 2020

Um moderno acelerador linear (equipamento de radioterapia) e um aparelho de ressonância magnética já estão na instituição, somam R$ 8,7 milhões e foram adquiridos pela Fundação Antônio Dino com recursos provenientes de um acordo judicial entre a Vale e o Ministério Público do Trabalho, mediado pela Justiça do Trabalho.

O acordo é resultado de um trabalho árduo dos advogados do escritório Lara, Pontes e Nery, que beneficiará centenas de pacientes que sofrem de câncer e são atendidos pelo hospital todos os dias. “Nosso trabalho na advocacia empresarial tem sentido quando vemos que as ações, muito além do curso do processo, podem se reverter em benefício para a sociedade, para a população”, declara Taís Portelada, sócia do escritório e uma das signatárias do Termo de Anuência e Compromisso, cuja assinatura ocorreu em 2017.

Nesta sexta-feira (25), a sócia do Lara, Pontes & Nery, a convite do desembargador Gerson de Oliveira Costa Filho, do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, que mediou o acordo, participou de uma visita ao Hospital Aldenora Bello para verificar o andamento das obras estruturais para instalação dos equipamentos, que já estão na instituição. A previsão de inauguração é entre janeiro e fevereiro de 2020.

De acordo com a Fundação Antônio Dino, as obras para que as máquinas possam ser instaladas estão fase final e a previsão de inauguração é entre janeiro e fevereiro de 2020. A expectativa é que com as duas máquinas o tempo espera para o tratamento diminua em seis meses e o hospital possa atender a demanda do Maranhão e até do Pará.

Para o desembargador Gerson Oliveira, a Justiça do Trabalho cumpre a sua função social e cidadã, ao assegurar que recursos originários de ações trabalhistas, que envolvam segurança, saúde e ambiente de trabalho, sejam convertidos em benefício de entidades filantrópicas como a Fundação Antonio Jorge Dino, que têm como objetivo desenvolver projetos e tratamentos que preservem e  melhorem a vida dos cidadãos.

O vice-presidente da Fundação, Antonio Dino Tavares, afirmou que os equipamentos devem contribuir para a redução da fila de pacientes à espera de uma cirurgia oncológica e garantirão mais segurança e qualidade nos procedimentos cirúrgicos.

Além da advogada do Lara, Pontes & Nery e do desembargador do Trabalho, estavam presentes o advogado Romulo Nelson Gondim de Faria, o procurador-chefe do Ministério Públio do Trabalho do Maranhão, Maurel Mamede Selares, os diretores do Hospital Aldenora Bello, José Generoso da Silva, Administrativo, e Ruy Lopes de Freitas, diretor Financeiro.